quinta-feira, 20 de julho de 2017

Composição infantil

Se passar uma enquete para todos os amigos e perguntar: Qual o animal do qual você mais se identifica? Pode ter certeza que a maior parte vai responder algum animal imponente como Leão, Tigre ou Cachorro. Acho os felinos de uma maneira geral, lindos. Mas sempre tenho preferências mais exóticas. Acho interessante a Lhama, Tucano, Arara, Harpia, Fradinho, Pato-Mandarim, Coruja, Moa e por que não, o Mamute. Nos jogos de adedanha, não faltava bichos no meu vocabulário, que deixavam sempre todos em dúvida da autenticidade do animal. Era sempre nomes complicados, mas pode conferir no Google. Ia de Feneco a Tilossauro, Serpentário, Impala, Facócero, Ocapi, Gnu, Cateto, Jupara, Quiurlo, Fulmaro, Tarâmbola dourada, Estercocário, entre outros. Mas dentre todos, um que acho muito digno de filosofar é o Camelo. Por isso, faço uma singela homenagem a esse ungulado artiodáctilo tão querido e tão esquecido em nossa literatura mundial.
O Camelo
O camelo é um animal que eu acho mais joinha tirando o leão, o tigre, o rinoceronte e muitos outros. Tem o camelo de uma corcova, tem de duas corcovas e acho que deve ter um de três corcovas. Como três é demais, não dão chance para ele aparecer. O camelo poderia ser um bicho brasileiro. Natural do Rio de Janeiro. Já repararam como as corcovas fazem duas montanhas? Não parece o Pão-de açúcar?  Camelo se chama o Navio do Deserto em alguns lugares, por que é o único que aguenta trabalhar em altas temperaturas. A gaivota vai voando a curva norte-sul, viajando Havaí, Pequim ou Istambul. Mas só o camelo pode navegar com tanto céu e mar num beijo azul.
A corcova do camelo também se chama bossa, mas não é nova. A menos que tenha menos de 15 anos. O camelo anda oito dias sem beber ao contrário do meu tio Zé que bebe oito dias sem andar.
O nome camelo vem do grego kamelos, que vem do hebraico gāmāl, com nome científico de Camelus. Tudo com som de camelo. Mas o coletivo de camelos é cáfila. Pode? Mesmo assim, seu nome é adorado por todos. Nossa companheira bicicleta, que nos leva a todos os lugares, sem reclamar ou pedir algum combustível, é também chamado de camelo.
Quem nunca conheceu um amigo com sobrenome camelo? Ou Camello? Ou Camelio? Já foi até nome com brasão, daqueles da antiguidade. É bem verdade que sempre colocam figuras como Leão ou dragões para representar força. Mas se você reparar no desenho do brasõa, vai ver que ele faz uma cara de bravo, com dentes para fora, que sinceramente, eu colocaria numa placa estampada na minha garagem, com os escritos: “Cuidado, camelo bravo”
Mas temos os camelôs, que não tem corcovas, mas passam horas e horas vendendo quinquilharias no sol quente, as vezes sem almoçar e jantar. Eles são trabalhadores que aguentam muita coisa nas ruas, mas todos exibem seu amor por times de futebol dos mais variados como Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense, Bangu, América e Madureira. Já vi com camisa do Barcelona também.
Camelo já foi nome de dinheiro também. O motivo? Não sei. Em Portugal parece que ainda se usa essa expressão. Talvez por achar que pode ser um dinheiro resistente e que possa chegar ao fim do mês ainda vivo...
Já foi o animal mais importante para os militares. Aqueles que lutaram no deserto. Animal forte e imponente. Quem já viu um camelo-bactriano, pode confirmar minha afirmação. E quem já foi no Simba Safari, pode lembrar da necessidade deles de dar pelo menos um beijinho de boas-vindas.  Ou então era interesse por alguma guloseima que os miúdos sempre levavam. Para uma criança, o camelo parecia um elefante. Para um adulto, se interessa apenas por sua pata.
Sempre pensamos neles no Verão. Gosto muito dessa época do ano. Os meninos na rua jogando bola, correndo feito loucos, gritando feito gorilas, e no sol como camelos. Camelo é verão. Camelo é vida brilhando. E como diria o poeta Sidónio Muralha:

- Como pode ser deserto se está cheio de camelos?

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Trumpism


Estou na exposição Trumpism no Irã. Mais importante do que ganhar qualquer prêmio é a participação neste momento de brutalidade no mundo, principalmente cometida por um líder mundial como Trump e suas loucuras pessoais e atitudes perante ao próximo. Me sinto na obrigação de ser uma das vozes para alertar nossa posição contra esse governo e todos aqueles que representam apenas o capital acima do humano. 


Oficina de desenho livre


Faltam poucos dias para começar a oficina de desenho livre com André Barroso. Reserve sua vaga já! Telefone ou mande um zap para 98178-9445

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Fotos novas






Sempre dizem sobre os tempos de selos, empresários, produtores, que acabam engessando o mais importante que é a diversão de tocar, o tempo do artista e suas condições físicas. Às vezes, um momento de descontração empurradas por pessoas que gostam de você é muito bom para recarregar ânimo e sentido.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Projeto Grafite na Rua


Fui selecionado para fazer um painel no novo túnel Charitas-Cafubá. A arte vai fazer parte deste projeto incrível que engloba a estação das barcas de Charitas de Niemeyer, o projeto do túnel aguardada a pelo menos 40 anos pela população e o novo desenho urbano do local. O projeto de pintura que produzi será mostrada em breve. Aguarde!

Crossdresser

Tathi foi entrando de maneira triunfal, lembrando a Jéssica Rabbit, com um vestido vermelho longo aberto na lateral e batom combinado exibindo os lábios carnudos, contrastando com sua aparente preocupação. Sentou e foi logo exibindo a foto do marido, para tristeza do detetive. Foi logo descrevendo seus trejeitos, suas manias e que sempre saia com um chapéu panamá à noite. Dizia que sentia muito frio no couro cabeludo. E ainda esclareceu:
- Doutor, acho que meu marido está me traindo!  Quero que você siga ele e quero saber todas as informações, por mais pérfida que seja!
Impassível com o choro da mulher a sua frente, puxou a foto para perto de seus olhos, colocou-a em seu bolso, ajeitou a camisa, acendeu um cigarro preto e logo após, falou de forma incisiva:
- Pode deixar comigo, bebe! Missão dada é missão cumprida.
Enxugando os olhos verdes, engoliu o choro e se levantou satisfeita e com ar de resignada, sai da mesma forma que chegou.
Uma semana depois, ela recebe o telefonema do detetive, que já daria sua primeira prestação de contas:
- Minha linda, seu marido passa boa parte da noite na boate Toca do Tatu.
- Meu Deus! Não!
- Mas não se desespere...tem a parte boa e a ruim.
- Boa e ruim? ...me fale a boa.
- A boa é que ele não está com nenhuma mulher.
- Graças a Deus! E a ruim?
- A ruim é que ele se veste de mulher...
- Meu Deus! ...E sozinho?
- Sozinho.
Ela agradeceu e falou que acertaria no dia seguinte. Depois que desligou, não conseguiu digerir a informação direito e ligou para sua melhor amiga Letícia. Letícia sempre foi sua confidente e amiga desde a 5ª série. Ouvindo seu drama mais recente, dá um conselho inusitado.
- Amiga, Ele não está te traindo, mas está revelando uma tara que acha que não consegue revelar para você. Você ama ele?
-Sim.
- Eu acho que você podia fazer uma surpresa para ele. Que tal você vestir as roupas dele? Você mostra que entende a situação dele, sem precisar discutir nada. Vocês se aproximam e tem uma noite de amor na sala e tudo fica bem novamente, que tal?
-Será?
- Vai por mim amiga. Vai ser mágico!
À noite chega e na hora que o marido chega, encontra a mesa de jantar arrumada com candelabros e uma comida refinada. De repente, ouve o som de Jean Francois Maurice e Maryse com La Rencontre ao fundo e subitamente surge a esposa toda vestida com um terno escuro, bigode falso e um perfume masculino amadeirado. Ela vai dançando misturando sensualidade e algo que viu na internet, tentando não ser muito feminina. O marido com a boca aberta não consegue dar um pio e ela estimulada por isso, continua seus movimentos, quando o seu celular tocou. Ela atendeu, com voz masculina, já incorporada no personagem.
- Alô!
E do outro lado:
- Bebe, se quiser pegar seu marido no flagra, ele está aqui na boate agora e ainda não trocou de roupa. Pega ele no flagra!
Ela desliga. Olhou para o marido e para não entrar debaixo da mesa e chorar, emendou logo:

- Que tal uma disputa de queda de braço?

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Aulão de desenho nas férias


Oficina de férias - Curso de desenho.
3 encontros - 3 sextas-feiras.

Duas turmas:

14:30/15:30 
16:00/17:00

10 vagas por turma!

Garanta já sua vaga!

Investimento R$ 180,00